A Falácia da Informática

Precisamos acabar com um conceito equivocado que surgiu recentemente no mercado de informática de que quanto menor o tamanho do hardware, menor é o seu desempenho.

Lemos na semana passada o comentário de um usuário que respondeu à uma pergunta num fórum de hardware informando que a placa mãe Micro ATX possuía menos recursos e performance do que o modelo equivalente no formato ATX.

Houve um cliente na loja Hardplus que se recusou em comprar uma placa de vídeo GeForce GTX 970 4GB Mini da Gigabyte porque ela era menor do que a sua equivalente com três ventoinhas e um tamanho maior, embora houvesse uma diferença no tamanho físico, ambas traziam as mesmas frequências no GPU e nas memórias, possuíam a mesma quantidade de memória, conexões e etc., consequentemente, a performance de ambas eram idênticas. A economia teria sido em torno de 15% para se obter a versão Mini da GV-N970.

Este comportamento talvez seja explicado por causa do tamanho dos gabinetes (torres como são chamados por alguns), que são maiores para os computadores de alta performance. Como os computadores para jogos, edição gráfica, renderização 3D e etc. exigem mais poder de processamento, também exigem mais consumo de energia e consequentemente, mais calor é gerado, obrigando que um gabinete de porte maior e com maior fluxo de ar seja adotado. Já para os computadores de uso comum (home/office), podem ser adotados gabinetes menores por não exigirem tanto resfriamento de suas peças internas.

Falácia da informática

Até mesmo o peso dos produtos estão sendo considerados na aquisição dos produtos. Até hoje, alguns clientes preferem HDs mais pesados e mais grossos acreditando que sua performance seja superior. O que eles podem nos dizer então dos HDs SSDS, que possuem uma fração do peso e do tamanho de um HD convencional?

Continuando na questão do peso, muitos usuários avaliam o peso da fonte de alimentação acreditando que se trata de um produto de maior qualidade, estabilidade e durabilidade, de fato, uma fonte de melhor qualidade tende a ser mais pesada, mas isso não pode ser generalizado, além disso, há fabricantes que procuram desnecessariamente, aumentar o peso de suas fontes para ludibriar os consumidores, alguns chegam até a usar uma pequena chapa de concreto na base de suas fontes de alimentação.

Acreditar que um produto mais leve ou menor possui menos recursos ou menos performance do que uma versão maior ou mais pesada é uma falácia da informática. É interessante acolher alguns comentários de pelo menos uns três especialistas antes de tomar a SUA decisão, mas cuidado com os comentários calorosos, pois a informática não pode ser tratada com tanta paixão quanto um time de futebol ou religião, se não, a aquisição pode lhe custar mais cara.

4 thoughts on “A Falácia da Informática

  1. Alexandre

    Creio que quando um cliente comenta sobre o peso dos componentes, está se referindo à sua robustez. É claro que existem fabricantes que ludibriam seus compradores. Mas uma boa fonte significa dissipadores de calor com maior massa, logo melhores e pesados. Um circuito de potência para retificar 50A não é pequeno nem pode ser leve. Um HDD pesado significa maior resistência mecânica e dissipação de calor. Um disco girando a 15K RPM não consome pouca energia. Agora, quanto às placas de vídeo e placas-mãe, estão cada vez menores, mas proporcionalmente, jamais leves!

    Reply
  2. Genevaldo

    Eu concordo plenamente com vocês são mesmo falacias, más o problema é que muitos acreditam em tudo que leem e enraízam estes pensamentos em suas mentes.
    Eu gosto de ler antes de comprar mas procuro informações do fabricante e performance da revenda ou dicas de quem vende afinal se tamanho fosse documento não teríamos Mac Minis da Apple, Mac Pro da Apple, Desktop da Dell e HP em tamanhos pequenos e já muitas maquinas montadas em gabinetes pequenos dando show em torres gigantes que ocupam espaço.
    Más este é problema hoje da nuvem.

    Reply
  3. Alexandre

    Para falarmos, com maior propriedade deste assunto, não devemos tratá-lo apenas em informática, devemos discuti-lo em eletrônica. SSD não possui motor de disco, de altíssima velocidade, nem braço de leitura/gravação com elevada precisão de deslocamento, logo não necessitam de circuitos de potência para tal, é um tablete de memórias arranjadas, com seu chipset de controle apenas. Mesmo assim, este arranjo de memória tem peso pois dissipam muito calor.
    Com taxa de miniaturização elevadíssimas os componente estão se tornando nanicos e isto é um problema pois necessitam consumir menos para dissipar menos. Logo há circuitos de monitoramento de suas temperaturas internas. Se elevarem, estes circuitos baixam a frequência de trabalho para não cozinhar o danadinho, forçando a diminuição de seu desempenho.
    Logo, a temperatura é o inimigo número um do desempenho e, temperatura se diminui com refrigeração, com dissipadores de calor, com ventoinhas ruidosas...

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *