Asus Transformer TF300T

O mercado de tablets continua crescendo muito no Brasil, mas apenas dois modelos se destacam nesta disputa: o iPad da Apple e o Galaxy da Samsung. Mas saiba que o terceiro lugar apresenta características que os líderes ainda não possuem.

Para apresentar o novo eee Pad Transformer da Asus, iremos compará-lo com o seu antecessor para conhecer melhor as inovações, mudanças e problemas apresentados.

A grande vantagem deste modelo é a possibilidade de transformá-lo em um netbook, com um teclado vendido à parte e com layout específico para o sistema Android, o tablet aumenta consideravelmente seus recursos, como a inclusão de duas portas USB2.0, podendo acrescentar um mouse, pen-drive, HD externo e até mesmo um mini modem 3G (para a conexão 3G é necessário a instalação de um programa no Android para o gerenciamento da conexão); é possível também duplicar a autonomia do produto e a capacidade de armazenamento com uma bateria embutida no teclado um slot de cartão SD (com capacidade para até 64GB no formato SDXC).

Teclado do tablet Asus Transformer TF300T

O encaixe do teclado ao tablet na geração anterior (TF100) era proporcionalmente grande em relação ao tamanho do tablet, agora na nova versão, este encaixe ficou mais discreto e nem por isso, menos seguro. Quando conectados, o teclado e o tablet conseguem um design mais harmonioso. Infelizmente o teclado para os Transformer TF100 não servem no TF300T, mas o conector e o carregador são compatíveis.

Traseira do tablet TF300T azul

A mudança que mais agrada é o design da parte traseira, com desenho circular e em alto relevo sobre um azul marinho, o TF300 tornar-se o tablet mais bonito do mercado atualmente, trazendo um espetáculo sob a luz ambiente, além disso, seu formato agora é mais retilíneo, ao contrário da traseira mais abaulada do TF100. A nova versão ficou também mais leve, caindo de 680 gramas para 635 gramas e a espessura de 13mm para 10mm. A largura também caiu um pouco, de 271 mm para 262 mm.

Outra importante evolução foi no processador, passando de um Tegra 2 dual-core para um Tegra 3 quad-core, além da força bruta, o novo modelo de processador apresenta novos recursos de iluminação e sombreamento, para se ter uma idéia, segue um vídeo comparativo fornecido pela nVidia dos novos recursos implementados com o novo Tegra 3:

http://www.youtube.com/watch?v=HpzkCTe76Bc

Vários jogos são ocultados no Google Play do Transformer TF100 porque o processador não suporta os novos recursos, já no TF300T, mesmo utilizando a mesma conta, todos os jogos são mostrados para compra ou download. O mesmo acontece no nVidia Tegra Zone. O TF300T virou uma máquina de jogos 3D.

Desempenho do sistema

Além do desempenho, o recurso de gerenciamento de energia feito pelo quinto processador do Tegra 3 permite ao Android selecionar o tipo de desempenho que o tablet vai utilizar, permitindo uma autonomia maior da bateria ou melhor performance.

Uma breve comparação da nVidia com o Tegra 2 e Tegra 3 pode ser vista na página: http://www.nvidia.com.br/object/tegra-superchip-br.html

A webcam foi outro componente que merece destaque, além da resolução ter aumentado de 5 Megapixels para 8 Megapixels, a qualidade gráfica também melhorou, isso talvez se deve ao aumento do sensor ser maior do que o aumento da resolução. Fisicamente é visível o aumento considerável da lente. Além disso, a nova webcam possui um sensor BI (Back Illuminated) que possibilita imagens melhores em ambientes escuros. Videos que eram gravados em 720p no TF100, agora podem ser gravados em 1080p no TF300, não só por causa da evolução no sensor da webcam, mas por causa do processador mais potente.

Os vídeos eram gravados no TF101 no formato 3GP, um tipo de arquivo que poucos programas reconheciam, mas agora no TF300T os vídeos são gravados em Full HD no formato MP4, bem mais comum, porém, há uma limitação de 1,9GB por aquivo, o que permite gravações em Full HD em torno de 14 minutos.

Tela do tablet Transformer Asus TF300T

A qualidade sonora também melhorou muito, sendo agora um dos pontos fortes do TF300T. Mas a tela não houve avanços em relação ao seu antecessor, continua com resolução de 1280 x 800 pixels, matriz IPS retroiluminada com LED, suporta até 10 toques simultaneamente. Outra coisa que poderia ter melhorado é a conexão USB para a versão USB3.0. Algumas outras pequenas características foram alteradas, como a posição do botão de energia, conector Mini HDMI, leitor de cartões Micro SD.

A Asus disponibilizou o TF300T em três cores: branca, vermelha e azul, todas as opções apresentam uma beleza singular que é realçada com o teclado na respectiva cor. O acabamento inferior do teclado segue o mesmo estilo da parte traseira do tablet e a conexão mais discreta mostrou um produto mais elegante enquanto fechado.

Em relação ao tablet da Apple, a maior desvantagem do TF300T foi a resolução da tela, o iPad possui uma tela com 2048 x 1536 pixels contra os 1280 x 800 do Asus Transformer. Outras características do TF300T foram superiores, como o processador quad-core Tegra 3 da nVidia contra o dual-core A5X da Apple do iPad e a webcam de 8 Megapixels contra 5 Megapixels, mas no meu ponto de vista a principal vantagem do tablet da Asus é o seu sistema operacional mais independente de um computador, a liberdade de instalação, manutenção, atualizações e etc é bem maior. Qualquer sincronização com o computador pode ser feita como se ele fosse um simples pen drive, utilizando de forma bem simples o Explorer do Windows ou do Linux. Enquanto a Apple obrigar o uso do iTunes, a Google ganha um espaço tremendo no mercado de tablets.

Embora o iPad possua uma resolução de tela bem superior, a qualidade gráfica nos jogos ficou para o Asus Transformer, conforme o vídeo comparativo abaixo demonstrado:

http://www.youtube.com/watch?v=TQlu39SIH6M

One thought on “Asus Transformer TF300T

  1. Pingback:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *