Conexão eSATA

O SATA (Serial ATA), lançado em 2003, foi projetado para susbstituir o ATA (ou IDE), utilizado para interconectar a placa mãe e dispositivos de armazenamento interno. Algumas das vantagens do SATA, para fazer a melhor escolha para conectar estes dispositivos são: Velocidade maior, tamanho do cabo reduzida e a funcionalidade hot-swap (conectar ou desconectar o dispositivo com o computador ligado). Hoje praticamente toda placa mãe possui embutido controladores SATA.

Conexão
Os conectores SATA possuem uma forma em L e apenas um dispositivo pode ser conectado por porta, a menos que uma porta muiltiplicado especifica seja usada. A conexão interna é feita de forma simples e rápida e alguns fabricantes oferecem conectores com travamento para garantir que elas não fiquem soltos durante o transporte.

Velocidade
A primeira geração do SATA possui operação de no máximo de 1.5Gbit/s (187MB/s), velocidade bem mais rápida do que a 133MB/s do PATA, os HDs mais novos podem chegar a transmitir até 200MB/s. A segunda geração chega a 3Gbit/s (375MB/s). E a terceira geração proporciona o dobro da velocidade (teoricamente), 6Gbit/s (750MB/s).

eSATA
O SATA regular foi projetado para uso interno, mas uma derivação denominada de eSATA fornece a mesma funcionalidade para dispositivos externos (normalmente HDs externos). Utiliza-se um conector diferente, de forma que é incompatível com o SATA interno, o eSATA se sobresai sobre o USB e Firewire quanto a largura de banda e com uma vantagem adicional de uma conexão direta, sem a necessidade de chip ponte. O eSATA no entanto, não constuma fornecer alimentação para a unidade ou dispositivo, exigindo um cabo de força a parte.

Fonte:  Hexus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *