Intel haswell e o dilema dos fabricantes de placa-mãe

Um relatório  da indústria de Taiwan sugere que a integração contínua de novas funcionalidades em microprocessadores fará com que alguns fabricantes de placa-mãe  saiam do mercado.

A Digitimes reportou que as características (tais como controle de fase de alimentação) que será transferido para o processador Haswell a 4 geração de processadores fabricados em 22 nanômetros da Intel, poderá levar "vários fabricantes low tier" de placas-mãe a sair do mercado no final de 2013.

É fundamental para os fabricantes de placas-mãe que eles sejam capazes de diferenciar seus produtos dos produtos concorrentes, diferenciando os recursos disponíveis em cada placa mãe, e uma estratégia que abrange mais recursos dentro do CPU vai tirar essas opções da indústria de placas. O resultado poderia ser uma concorrência que só vai acontecer em um nível de preços, o que tornaria o segmento de mercado muito menos atraente do que é hoje. Digitimes escreveu que os fabricantes de placas-mãe já mudaram seu foco e tentam se diferenciar na implementação de tecnologias melhores nas áreas como usb 3.0 e Thunderbolt, bem como as características do BIOS.

No entanto, há também a nota de que é improvavel que a Intel queira "destruir" a indústria de placas-mãe (por agora) e pode deixar a indústria viver ainda por mais três ou cinco anos. Ainda que essa expectativa esteja firmada em esperanças, como queda das taxas de rendimento causadas pela integração do northbridge e southbridge em um socket unificado.

Confira as especificações da nova linha de processadores haswell.

(clique na imagem para ampliar)
haswell
haswell


5423.10182-intel-Haswell

 

De acordo com a Intel, você encontrará dual e quad-core disponives com socket LGA 1150 e  modelos ''esportivos'' com a configuração gráfica GT2 com 20 unidades de execução. Haverá também dual e quad-core soquetados baseados na RPGA para o ramo mobile, com a mesma configuração gráfica. Tudo na tabela acima é LGA 1150, no entanto. Todos os modelos suportam partes para dois canais de memória DDR3-1600 de 1,5 V e 800 MHz de frequências mínimas essenciais. Eles também compartilham um controlador PCI 16-lane Express 3.0, AVX2 apoio e suporte a AES-NI. Curiosamente, quatro dos modelos listados não suportam novas Extensões de Sincronização Transacionais da Intel (TSX). Não se sabe ao certo o por que a Intel iria querer diferenciar seus produtos com um recurso destinado a lidar com bloqueio mais eficiente, mas isso parece ser o que está fazendo.

O motor gráfico GT3 muito aguardado, com 40 unidades de execução, é limitado a aplicações baseadas em BGA, o que significa que não poderão ser atualizados. A Intel terá quad-core com GT3, quad-core com GT2, e dual-core com versões GT2, GT3 também vai fazer uma aparição em um pacote multi-chip baseado em BGA que inclui um chipset de codinome ponto de lince. que será  parte dual-core, no entanto.

Com os novos chips gráficos integrados, a Intel pretende superar a concorrência de placas gráficas externas de baixo custo (até US$ 150 ou cerca de R$ 300), como a GeForce GTX 650M. Para conexão externa, os aceleradores gráficos devem suportar a interface Display Port 1.2, com resoluções de até 4K e até três telas independentes conectadas simultaneamente

Além dos processadores que a Intel planeja lançar aqui em poucos meses, também será apresentada a 8 série da Plataforma de chips controladores, atualmente chamado ponto de lince. O mais completo recurso da versão do ponto de lince vai incorporar seis portas SATA 6Gb / s, 14 portas USB totais (dos quais seis são USB 3.0), oito pistas de segunda geração PCIe e saída VGA.

Os chips série8 vão ser fisicamente menores do que os seus antecessores (23x22 milímetros , ao invés de 27x27) com menos pinos. Isto é em grande parte atribuível a mais recursos integrados no próprio CPU.
A nova microarquitetura Haswell implementa o recurso de transistores em 3D, assim como novos conjuntos de instruções para garantir mais velocidade de processamento, como o AVX2 (256-bit integer vectors) e o FMA, desenvolvido para dar mais desempenho em vídeo, áudio e jogos.

Para completar, todos os aceleradores gráficos devem aceitar as APIs de programação de última geração mais utilizadas, como o DirectX 11, OpenCL 1.2 e o OpenGL 4.0.

Esse tipo de chip integrado de alto desempenho demonstra que o futuro deve contemplar muito mais soluções portáteis — como os ultrabooks e tablets.

                                                                                                                                                                                                                                                   Referências e tradução livre de: Tomshadware.com, Andtech, Digitimes, intel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *